A tarja rosa

Um aviso: Não temos respostas. Temos novas perguntas.


Deixe um comentário

A vida (re)começa aos 40

A vida pode não só recomeçar como ser ainda melhor depois dos 40. Vai por mim.

A vida pode não só recomeçar como ser ainda melhor depois dos 40. Vai por mim.

Chegar aos 40 anos e estar tinindo é algo comum entre as mulheres de nosso tempo. As mulheres estão mais dispostas, mais bonitas, mais seguras e mais livres. E também mais disponíveis para realizarem tudo o que querem, inclusive, para abrirem mão de um casamento sem amor.

Os filhos estão criados e voilá. Tempo para si mesma.

Esses são alguns dos aspectos que fazem as mulheres de hoje se sentirem com tudo nessa fase da vida. A medicina e a estética têm tudo para fazê-las serem e estarem assim. Muitas delas ainda despontam profissionalmente. E, apesar das disparidades com os homens, elas estão em toda parte.

Uma pesquisa feita pela antropóloga da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Mirian Goldenberg, aponta que o maior desejo das mulheres é pela liberdade. Ao mesmo tempo, aos 40, a liberdade se contrapõe ao tempo, antes elas tinham a vida pela frente, e agora querem aproveitar, tudo ao mesmo tempo agora, e se perguntam – “Por que perdi tanto tempo?”

A pesquisa mostra também a preocupação excessiva que a brasileira tem em equilibrar muitos aspectos da vida – ela quer perfeição na família, no trabalho, em sua aparência e então acaba se estressando muito mais. Ao contrário da situação das mulheres alemãs, que optam ou pela carreira, ou por casar e ter filhos, com a diferença de que essa escolha é muito mais respeitada por lá do que por aqui.

A sociedade ainda julga a mulher que não casou, ou que não teve filhos por opção. Ela fez uma escolha como qualquer pessoa pode fazer. Mas mesmo assim, algo libertário ou diferente da maioria ainda espanta muita gente.

Explorar habilidades de relacionamento pessoal e estilo de vida mais leve, bem ao estilo masculino é outro desejo latente presente na pesquisa. Os homens, em sua grande maioria são mais desencanados, não se preocupam tanto com a sua imagem frente aos outros, frente à família, e podem ser chamados de safados sem que isso os prejudique moralmente.

E tudo isso, Vilamigas, nós queremos depois dos 40. Pode parecer muito, mas não é, é simplesmente natural. É da natureza de qualquer ser humano querer ser mais leve, e no caso das mulheres quererem ser livres e se preocupar somente consigo mesmas, já que provavelmente viveremos mais de cem aos, quem tem 40 ainda tem no mínimo 60 pela frente.

Para quê se preocupar tanto? Se aventurar é bem melhor.

Este texto também está aqui.


Deixe um comentário

Nails adiccta

A Tarja Rosa é muito moça e viciada em esmaltes novos, cintilantes e holográficos. Ah um tempo atrás cunhou-se o termo “esmaltólatra”, mais um neologismo do mulheril.

Eu mesma faço as minhas unhas e me encaixo nessa categoria. Esse aqui é o Multigirl da coleção assinada pela VJ da MTV Mari Moon. Eu usei com esmalte preto como base, as variações de cor ficam mais consistentes.

Que acharam?

Unhas esmalte Mari Moon

(perdoem se a fotografia não está um primor. Eu faço unhas muito bem, mas, a edição de imagem, são outros quinhentos, para profissionais especializados)